(11) 97522-6386

Clínica de alcoolismo: entenda como funciona o tratamento

Clínica de alcoolismo: entenda como funciona o tratamento

A clínica de alcoolismo é uma unidade de tratamento que interna pacientes com vício em álcool — doença crônica de causas variadas, que vão desde fatores genéticos a questões ambientais ou psicológicas. Assim, o alcoolismo tem impacto extremo na vida da pessoa afetada, podendo, inclusive, levá-la à morte.

Dessa forma, alcoólatra costuma buscar a bebida para aliviar seu sofrimento emocional ou para disfarçar dores físicas causadas, às vezes, pela própria doença. Então, as famílias dos afetados costumam se sentir confusas, desorientadas e impotentes frente a complexidade do cenário.

Por isso, para entender mais sobre a questão e saber como agir, continue com a gente e acompanhe o post de hoje!

Como detectar o alcoolismo?

Existe uma grande diferença entre ficar bêbado e ser alcoólatra: uma pessoa que bebe socialmente pode chegar a ficar bêbada sem que isso apresente grandes riscos para sua vida. No entanto, o alcoólatra, por sua vez, ingere quantidades que vão além do que o organismo suporta em pequenos intervalos de tempo.

Assim, esse consumo desenfreado traz graves danos para a saúde física, além de prejudicar o sujeito em seu trabalho, em suas relações e em suas emoções. Além disso, atitudes de risco também são indicadores, como dirigir bêbado descontroladamente. Então, para auxiliar a combater isso existem as clínicas de alcoolismo.

Quais são os efeitos crônicos do álcool?

clínica de alcoolismo

Os efeitos crônicos surgem em decorrência da ingestão excessiva e frequente de bebidas alcoólicas ao longo de meses ou anos. Dessa forma, como a molécula de etanol é pequena, ela atinge órgãos e tecidos facilmente.

Por isso, antes de vermos as clínicas de alcoolismo, veja, abaixo, os principais efeitos do álcool no corpo humano:

Sistema cardiovascular:

  • lesões nas células cardíacas;
  • aumento do tamanho do coração;
  • arritmias cardíacas;
  • hipertensão;
  • risco de infarto.

Sistema gastrointestinal:

  • úlceras;
  • cânceres de esôfago, boca, laringe e faringe;
  • gastrite;
  • hepatite;
  • esteatose hepática;
  • pancreatite aguda;
  • cirrose hepática.

Sistema nervoso:

  • distúrbios neurológicos graves;
  • lesões no sistema nervoso central;
  • perda de estabilidade;
  • alterações de memória;
  • dificuldade em caminhar;
  • desregulagem da liberação de neurotransmissores;
  • síndrome de Wernicke-Korsakoff;
  • demência alcoólica;
  • miopatia;
  • polineuropatia periférica.

Sistema reprodutor:

  • impotência nos homens;
  • alterações menstruais nas mulheres;
  • infertilidade nas mulheres.

Existem grupos de apoio ou centros sociais para auxílio?

Dessa forma, diante dessa situação tão grave, é normal que os familiares atinjam um alto nível de sofrimento — principalmente por não saberem como ajudar a pessoa doente. No entanto, existem caminhos para auxiliar todos os envolvidos, como as clínicas de alcoolismo.

Assim, apesar de não ter uma cura permanente, o alcoolismo pode, sim, ser tratado. Então, os grupos de apoio, centros de reabilitação e clínicas existem exatamente para isso. Desse modo, nesses locais, o alcoólatra encontra um suporte, mas sua família também recebe apoio.

Então, de forma geral, os grupos de apoio são reuniões em que os alcoólatras e suas famílias conversam sobre os seus problemas com pessoas que estão em situações muito parecidas. Por isso, essa é uma chance de aprender com outras experiências e de se abrir em relação ao seu sofrimento.

Além disso, existem também os centros sociais, em que são fornecidos tratamentos envolvendo o trabalho de médicos, psiquiatras e psicólogos. Dessa forma, esses centros não apenas trabalham para a internação: se necessário, podem também encaminhar os pacientes para clínicas.

Quais os grupos de apoio existentes no Brasil?

clínica de alcoolismo

Existem, no Brasil, alguns grupos que auxiliam no processo de tratamento e recuperação dos dependentes de álcool e que agregam às clínicas de alcoolismo. Portanto, veja alguns deles a seguir:

Alcoólicos anônimos (AA)

Esse é o principal grupos de apoio existente no Brasil. Seu objetivo é amparar e auxiliar os alcoólatras a largarem o vício. Então, o AA é um grupo em que todos se ajudam e são ajudados. Assim, ele funciona por meio de reuniões em que todos podem explicar suas dúvidas, incertezas, preocupações, aflições e ansiedades.

Dessa forma, é costume que um convidado conte a sua história com a dependência e a recuperação. Além disso, geralmente, as reuniões duram de uma hora a uma hora e meia — e não há nenhum tipo de cobrança ou pagamento sobre elas. Também não é necessário falar o nome completo ou preencher ficha de inscrição alguma (daí vem o anonimato).

Grupo de apoio aos alcoólatras e narcóticos (GAAN)

Esse grupo é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos que tem por objetivo ajudar na recuperação de pessoas que fazem uso excessivo de álcool e/ou outras drogas.

Existem grupos voltados para a família do alcoólatra?

Alguns grupos são voltados apenas para os familiares de alcoólatras, que também precisam de amparo e conforto. Dessa maneira, são muito importantes para que os parentes do dependente consigam ajudá-lo a conquistar uma vida saudável. Então, veja abaixo:

Al-Anon

Esse grupo é formado por parentes e amigos de alcoólatras, e tem por finalidade o compartilhamento de experiências para posterior solução dos problemas em comum. Assim, o Al-Anon guia as famílias sobre como encarar o alcoolismo e auxiliar na recuperação dos entes queridos. Ademais, a participação também é anônima e gratuita.

Alateen

Esse grupo está associado ao Al-Anon e é voltado especialmente para os jovens entre 13 e 19 anos que sofrem com as questões de alcoolismo de um familiar ou de um amigo. Mas, apesar de ser organizado de forma independente, o grupo necessita de dois padrinhos do Al-Anon.

Como saber o momento certo de internar o dependente em uma clínica de alcoolismo?

O dependente do álcool pode apresentar alguns sinais que indicam o momento certo de interná-lo numa clínicas de alcoolismo. Por isso, confira alguns deles a seguir:

  • dificuldade de se manter no emprego ou na escola;
  • surtos de agressividade e paranoia;
  • rotina resumida a atividades que favorecem o acesso às bebidas alcoólicas;
  • atenuação do raciocínio e do nível de atenção;
  • pequenos roubos dentro de casa;
  • desaparecimento por alguns dias.

Assim, na maioria das vezes, quando essas situações acontecem, resolver o problema de forma espontânea é quase impossível. Por isso, a única saída pode ser a internação.

Quais as formas de convencer uma pessoa a se tratar voluntariamente?

Grande parte dos dependentes não aceita que está doente e que precisa se tratar numa clínica de alcoolismo. Assim, o primeiro passo para motivar alguém a buscar tratamento especializado é conversar.

Por isso, aproveite um momento de sobriedade e converse com calma e sem agressividade, de preferência em um local que haja privacidade e seja confortável. Então, fale sobre os problemas enfrentados por ele e pela família e mostre todas as consequências negativas que o alcoolismo provoca.

Incentive a pessoa a fazer atividades que lhe possibilitem uma sensação de bem-estar — como esportes, artesanato ou tocar um instrumento musical. Ou seja, mostre a ela o quanto é possível ser feliz sem o consumo de bebidas alcoólicas.

Além disso, pesquise informações sobre clínicas de reabilitação e centros de apoio e motive o dependente a procurar ajuda para se recuperar. Ofereça a sua companhia para acompanhá-lo na primeira visita à clínica ou ao grupo.

Como funciona a internação numa clínica de alcoolismo?

clínica de alcoolismo

O processo de internação em uma clínica de alcoolismo começa quando percebe-se a necessidade de buscar uma ajuda maior, em que o dependente possa receber mais cuidados. Esse momento pode ser notado pela própria pessoa, por sua família ou por outros com quem ela convive — como um médico, um psicólogo ou um psiquiátra.

Existem três tipos de internação:

Voluntária

A internação voluntária ocorre quando o próprio alcoólatra, consciente da gravidade de sua situação, busca ser internado para tratamento. Esse é um passo muito positivo, já que o envolvimento direto e a dedicação do paciente são grandes diferenciais no processo.

Involuntária

A internação involuntária numa clínica para alcoolismo corre quando o alcoólatra não assume que tem necessidade de se tratar ou não tem mais condições de saúde para buscar ajuda sozinho. Neste caso, seus familiares, ao notarem que uma intervenção maior se faz precisa, entram com um pedido judicial para a internação involuntária.

É importante ressaltar que, para que a internação seja efetuada, é necessário um laudo médico comprovando sua demanda.

Compulsória

O pedido de internação de um alcoólatra é feito pela justiça, ao se constatar que a pessoa está colocando em risco sua própria vida ou a vida de outros. Nesse caso, o laudo médico também se faz obrigatório.

Iniciado o processo de internação, o próximo passo é a busca pelo local mais adequado para prestação de tal serviço — e uma série de fatores deve ser levada em conta nesse momento.

Um deles é a abordagem ou o método empregados em cada instituição. É comum que cada uma tenha um foco — como a aprendizagem afetiva ou o atendimento psiquiátrico, por exemplo. Deve-se escolher aquela abordagem que melhor combina com o caso, com a pessoa e com as suas necessidades.

Vale lembrar que, seja qual for a especialização do local, é essencial que ele tenha uma equipe multidisciplinar, com profissionais de áreas diferentes e que proporcionem um atendimento mais completo.

Além disso, também é necessário definir qual modelo de internação é o mais indicado para o dependente naquele momento, e isso deve ser feito com o auxílio de um profissional de confiança.

É preciso definir, por exemplo, se será uma internação parcial — em que a pessoa frequenta a clínica somente durante o dia — ou integral — em que ela reside na instituição por um período determinado.

Na clínica, o alcoólatra e seus familiares devem encontrar um espaço para conhecer melhor a doença, aprender a lidar com ela e a conviver com outros em situações semelhantes.

Quais as etapas do tratamento na clínica de alcoolismo?

tratamento do depentente é composto por diversas etapas, que podem variar de abordagem para abordagem e ter durações distintas. Veja algumas delas a seguir:

Desintoxicação

É a fase em que se foca principalmente na redução dos danos causados pelo alcoolismo. Isto deve incluir os efeitos físicos, mentais e emocionais. Para tal, a pessoa deve passar pela abstinência — ou seja, ficar sem consumir a substância química.

Nessa etapa são utilizados métodos como medicamentos e atendimentos psicológicos constantes.

Psicoterapia e terapia ocupacional

É o momento de cuidar prioritariamente da saúde mental e do emocional. E, como todo indivíduo é único, esse processo deve ser específico para cada um. Algumas clínicas também oferecem a modalidade de terapia em grupo.

A terapia ocupacional é um momento em que a pessoa tem a oportunidade de dedicar sua energia às atividades benéficas de diversas maneiras. Nesse processo, são exercitadas habilidades cognitivas e sociais, além da abordagem de questões emocionais.

É válido relembrar que, para um tratamento ser mais completo, ele deve fornecer apoio e cuidados com a saúde física, mental e emocional. O acompanhamento com profissionais, como médicos e psicólogos, deve ocorrer ao longo de toda a internação, inclusive nas recaídas.

Por fim, vale ressaltar como a internação é essencial para o tratamento da dependência do álcool, principalmente quando o caso já estiver mais complicado. Trata-se de uma questão que merece o máximo de atenção e cuidado.

Então, a internação na clínica de alcoolismo é só uma parte do processo: o tratamento deve ser constante, com um acompanhamento permanente para o alcoólatra e sua família, mesmo após a saída da clínica.

Explorando os Benefícios dos Três Tipos de Internação: Voluntária, Involuntária e Compulsória 
 

A internação é uma medida crucial em contextos médicos e de saúde mental, muitas vezes necessária para proporcionar cuidados intensivos a pacientes que enfrentam condições agudas ou graves. Existem três tipos principais de internação: voluntária, involuntária e compulsória. Cada uma dessas formas de internação possui seus próprios benefícios e finalidades específicas, destinadas a garantir o tratamento adequado e o bem-estar dos pacientes.  

 

1- Internação Voluntária:  

internação voluntária ocorre quando um paciente decide buscar tratamento por conta própria e concorda em ser admitido em uma instalação de saúde. Os benefícios dessa forma de internação incluem:  

  • Autonomia e Empoderamento: Os pacientes têm o poder de tomar decisões sobre sua própria saúde e bem-estar, o que pode promover um senso de controle e autonomia durante o processo de tratamento.  
  • Colaboração no Tratamento: Quando os pacientes optam voluntariamente pela internação, é mais provável que se comprometam ativamente com o plano de tratamento, participando das terapias e seguindo as orientações médicas.  
  • Redução do Estigma: Ao escolher buscar tratamento por vontade própria, os pacientes podem sentir menos estigma associado à doença mental ou à necessidade de cuidados médicos, o que pode encorajá-los a buscar ajuda mais cedo.  
     
     

2- Internação Involuntária:  

internação involuntária ocorre quando um paciente é admitido em uma instalação de saúde sem o seu consentimento, geralmente devido a uma avaliação médica que determina que ele representa um risco significativo para si mesmo ou para os outros. Os benefícios dessa forma de internação incluem:  

  • Proteção e Segurança: Em situações em que um paciente não está em condições de tomar decisões por si mesmo, a internação involuntária pode ser necessária para protegê-lo de danos ou perigos iminentes.  
  • Acesso a Cuidados Médicos: Para pacientes que se recusam a buscar tratamento, a internação involuntária pode fornecer acesso imediato a cuidados médicos e psiquiátricos essenciais, salvando vidas e ajudando a estabilizar condições de saúde graves.  
  • Avaliação Adequada: A internação involuntária permite uma avaliação completa da condição do paciente por profissionais de saúde, garantindo que ele receba o tratamento mais apropriado e individualizado.  
     
     

3- Internação Compulsória:  

internação compulsória é o tipo mais restritivo de internação, ocorrendo quando um paciente é admitido em uma instalação de saúde contra a sua vontade e sem revisão ou autorização prévia. Os benefícios dessa forma de internação incluem:  

  • Intervenção em Crises Graves: Em situações de emergência ou crises de saúde mental que representam um risco iminente para o paciente ou para os outros, a internação compulsória pode ser necessária para garantir uma intervenção rápida e eficaz.  
  • Proteção da Comunidade: Em casos em que um paciente representa uma ameaça clara e imediata para a segurança pública, a internação compulsória pode ajudar a proteger a comunidade contra comportamentos perigosos ou violentos.  
  • Estabilização e Tratamento Intensivo: A internação compulsória permite que os pacientes recebam tratamento intensivo e monitoramento constante, ajudando a estabilizar condições de saúde mental agudas e a prevenir danos a si mesmos ou aos outros.  
     
     

Em resumo, os diferentes tipos de internação - voluntária, involuntária e compulsória - desempenham papéis importantes na prestação de cuidados médicos e de saúde mental. Embora cada forma de internação tenha seus próprios benefícios e implicações legais, todas as formas de internação sejam realizadas de maneira ética, respeitando os direitos e a dignidade dos indivíduos, e priorizando sempre o bem-estar e a recuperação dos pacientes.  

  

Auxílio-Doença para Dependentes Químicos:  

O auxílio-doença é um benefício previdenciário oferecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Brasil, destinado a trabalhadores que ficam temporariamente incapacitados de realizar suas atividades laborais devido a problemas de saúde. Quando se trata de dependência química, o acesso ao auxílio-doença pode oferecer uma série de benefícios e direitos importantes:   
 

  1. Acesso a Tratamento Médico e Terapêutico: auxílio-doença proporciona ao dependente químico a oportunidade de se afastar temporariamente do trabalho para buscar tratamento médico e terapêutico adequado para sua condição. Isso pode incluir internação em clínicas de reabilitação, consultas com profissionais de saúde mental, participação em grupos de apoio, entre outros.
     
     
  2. Estabilidade Financeira durante o Tratamento: Ao receber o auxílio-doença, o dependente químico pode contar com uma fonte de renda temporária enquanto se dedica ao seu processo de recuperação. Isso ajuda a reduzir o estresse financeiro e permite que o indivíduo se concentre totalmente em sua saúde e bem-estar, sem se preocupar com questões financeiras imediatas.
     
     
  3. Proteção contra Desemprego e Perda de Renda: Em muitos casos, a dependência química pode afetar negativamente o desempenho no trabalho e até mesmo levar à perda do emprego. O auxílio-doença oferece uma rede de segurança para os trabalhadores, protegendo-os contra a perda de renda enquanto estão temporariamente incapacitados de trabalhar devido à sua condição de saúde.
     
     
  4. Manutenção dos Direitos Previdenciários: Durante o período em que estiver recebendo o auxílio-doença, o dependente químico continua contribuindo para o sistema previdenciário e mantém seus direitos previdenciários intactos. Isso inclui a contagem do tempo de afastamento como período de contribuição para a aposentadoria, além da manutenção de outros direitos, como o acesso a benefícios por incapacidade permanente, quando aplicável.
     
     
  5. Apoio na Reintegração ao Trabalho: Após receber tratamento e se recuperar, o dependente químico pode retornar ao trabalho gradualmente, com o apoio de programas de reabilitação profissional oferecidos pelo INSS. Esses programas ajudam a reintegrar o indivíduo ao mercado de trabalho de forma segura e sustentável, fornecendo orientação e apoio para lidar com desafios relacionados ao emprego. 

    

Em resumo, o auxílio-doença oferece uma série de benefícios e direitos importantes para os dependentes químicos, ajudando a garantir acesso ao tratamento, estabilidade financeira durante o afastamento do trabalho, proteção contra desemprego e perda de renda, manutenção dos direitos previdenciários e apoio na reintegração ao trabalho após a recuperação.   

  

Benefícios da Internação  

A internação em uma clínica de reabilitação para dependência química de álcool e drogas pode oferecer uma série de benefícios significativos para os indivíduos que lutam contra esses problemas. Aqui estão alguns dos benefícios mais importantes:  

  

Ambiente Controlado e Seguro: 

Clínicas de reabilitação oferecem um ambiente seguro e controlado, afastado de influências externas que possam desencadear o uso de substâncias.  

Esse ambiente proporciona uma pausa no ciclo de abuso de substâncias, permitindo que os pacientes se concentrem totalmente em sua recuperação.  

  

Tratamento Multidisciplinar e Personalizado: 

As clínicas de reabilitação geralmente contam com equipes multidisciplinares de profissionais de saúde, incluindo médicos, psicólogos, terapeutas e conselheiros.  

Essas equipes trabalham juntas para criar planos de tratamento personalizados, abordando as necessidades específicas de cada paciente, como desintoxicação, terapia individual e em grupo, educação sobre dependência, entre outros.  

  
  

Desintoxicação Segura e Supervisionada: 

Muitas vezes, a primeira etapa do tratamento para a dependência química é a desintoxicação, na qual o corpo se livra das substâncias tóxicas.  

Nas clínicas de recuperação, a desintoxicação é realizada de forma segura e supervisionada por profissionais de saúde, que podem administrar medicamentos para ajudar a aliviar os sintomas de abstinência e garantir a segurança do paciente.  

   

Aprendizado de Habilidades para a Vida: 

- Durante a internação, os pacientes têm a oportunidade de aprender habilidades práticas e estratégias de enfrentamento para lidar com desafios do dia a dia sem recorrer ao uso de substâncias.  

- Isso pode incluir habilidades de comunicação, resolução de problemas, gerenciamento de estresse e prevenção de recaídas.  

   

  

Suporte Emocional e Social: 

- A internação em uma clínica de reabilitação oferece um ambiente de apoio onde os pacientes podem se conectar com outras pessoas que enfrentam desafios semelhantes.  

- O suporte emocional e social dos colegas e da equipe de tratamento pode ser incrivelmente reconfortante e motivador durante o processo de recuperação.  

  

Prevenção de Recaídas: 

  

- As clínicas para dependentes químicos fornecem estratégias e ferramentas para ajudar os pacientes a identificarem e evitar gatilhos de recaída.  

- Além disso, oferecem apoio contínuo após a alta, incluindo planos de acompanhamento e recursos de suporte para ajudar os pacientes a manterem-se sóbrios e saudáveis após deixarem a clínica.  

Em resumo, a internação em uma clínica de reabilitação para dependência química oferece um ambiente seguro e estruturado, com métodos de tratamento personalizado, suporte emocional e social, e ferramentas para ajudar os pacientes a alcançarem e manterem a sobriedade a longo prazo. Esses benefícios são fundamentais para promover uma recuperação bem-sucedida e uma vida saudável e feliz sem o uso de substâncias. 

 

Assim, a clínica Viver Sem Drogas busca apoiar as famílias que sofrem com o alcoolismo, fornecendo uma série de serviços — como uma comunidade de apoio no Facebook.

E então, gostou de nosso post? Para saber mais sobre a clínica do alcoolismo ou para obter outras informações, não deixe de entrar em contato conosco. Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas. Entre em contato para conversarmos mais!

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Viver sem Drogas para conversarmos mais!

Pra conversar com um especialista clique aqui! 

As informações do post foram úteis? Se você tem algum caso de dependência química na família ou desconfia disso, temos uma infinidade de materiais para auxiliá-lo. Para isso, siga nosso FacebookTwitter, e LinkedIn e tenha acesso a outros conteúdos que possam ajudar.

Este site usa cookies do Google para fornecer serviços e analisar tráfego.Saiba mais.